DataMapper versus ActiveRecord

Outro dia, tive um problema chatíssimo com o ActiveRecord: eu precisava criar um código de autenticidade, que conteria várias matrículas, que conteria várias disciplinas. O problema é o seguinte: Essas matrículas só seriam válidas se, por exemplo, o total de créditos das disciplinas não ultrapassassem um determinado número. Logo, resolvi fazer a validação no modelo de autenticidade, da seguinte forma:

class Autenticidade < ActiveRecord::Base
  MAX_CREDITOS = 40
  has_many :matriculas
  has_many :disciplinas, :through => :matriculas
  validate :credito_alto?

  def credito_alto?
    total = disciplinas.inject(0) { |r, v| r += v.creditos }
    errors.add(:disciplinas, 'créditos acima do permitido') if total > MAX_CREDITOS
  end
end

class Matricula < ActiveRecord::Base
  belongs_to :disciplina
  belongs_to :autenticidade
end

class Disciplina < ActiveRecord::Base
end

Ok, o problema agora é o seguinte: Se eu crio uma autenticidade, com o parâmetro :disciplina_ids => [1, 2], por exemplo, e a autenticidade não é válida, nenhuma nova matrícula é criada – como deveria ser. Agora, se eu atualizo uma autenticidade, com o  autenticidade.update_attributes( :disciplina_ids => [1, 2]), e essa autenticidade não é válida, o ActiveRecord salva as matrículas. Nesse caso, eu tenho uma inconsistência na base de dados feia – e precisava encontrar uma alternativa que não envolvesse muitos hacks, coisa que ainda não encontrei. Mas isso me estimulou a pesquisar o DataMapper.

(more…)

Creo, ergo sum

Inaugurando oficialmente o blog, posto uma mensagem interessante: Crio, logo sou. Esse será um blog sobre desenvolvimento – mais precisamente, desenvolvimento em Ruby. Claro, poucos desenvolvem profissionalmente em ruby, e eu tenho a sorte de ser um deles. Alguém já trabalhou com resolução de bugs? Com apenas testes? Alguém já Read more…